LEV DESIGN

Os 4 Elementos Essenciais dos Desenhos “Técnicos”

compartilhe

Você consegue diferenciar uma planta técnica de uma planta humanizada?

Claro, né?

Mas como ter a garantia que seus clientes irão entender o projeto através dos desenhos?

Hoje eu vou apresentar 4 elementos essenciais para a apresentação de desenhos atrativos para uma reunião com o cliente.

E ainda eficazes para a obra e envio para parceiros como marceneiros, marmoristas, etc.

Você irá desvendar nesse texto:

  • Construção de processos
  • Revisão de projeto automática
  • O poder do checklist
  • Como trazer clareza do projeto para seu cliente e evitar revisões desnecessárias

                                 

Por que desenhos técnicos são tão chatos e difíceis de produzir?

Para mim, é muito claro:

  1. São produzidos em ferramentas engessadas
  2. Exige muito retrabalho
  3. São pouco atrativos
  4. Envolve muita burocracia

 

Esses são os 4 exatos obstáculos que podem dificultar ou prolongar a execução dos desenhos de projeto.

Seja para estudo preliminar, seja para projeto executivo.

Mas a boa notícia é que é possível transformar esses 4 obstáculos em soluções:

  1. Usando ferramentas inteligentes
  2. Deixando o retrabalho quase zero
  3. Criando desenhos que deixam o cliente com brilho nos olhos
  4. Com Visual simples e prático

 

Vamos ver como tornar isso possível em detalhes.

Os 4 Elementos de Produção de Desenho de Arquitetura e Design

Se seu objetivo é:

  • Ter mais tempo livre para captar novos clientes e conseguir cumprir os prazos de entrega sem ter que ficar até tarde trabalhando…
  • Convencer o cliente com a opção apresentada e evitar idas e vindas de revisão de estudo…
  • Acabar com o retrabalho e as horas perdidas redesenhando manualmente quase tudo a cada revisão…

 

Então você precisa ficar atento a esses 4 elementos:

  1. Modelo inteligente de produção
  2. Ter em mãos um processo claro dessa produção
  3. Estratégia
  4. Desenhos mais visuais e menos chatos

 

Parece simples, não é mesmo?

Porém, se você já encarou horas a fio redesenhando cortes, vistas, plantas…

…ou até mesmo já deixou passar alguma revisão e gerou aquele problema na obra…

Você sabe que produzir o projeto, apresentar para o cliente e ele amar de primeira não é tarefa fácil assim.

Felizmente, existem ferramentas e fórmulas que nos ajudam a usar de maneira correta todos os 4 elementos.

 

Elemento #1: Modelo Inteligente de Produção

Muito se tem falado de modelos BIM.

E por vezes, parecem um tanto quanto complexos demais.

Burocráticos demais.

Mas o que é o BIM?

BIM, resumindo, é você conseguir através da produção de um 3D por exemplo, extrair:

  • Cortes
  • Plantas
  • Vistas
  • Tabelas
  • Quantitativos

 

E ainda trabalhar em equipe em um mesmo arquivo, onde uma ou mais pessoas conseguem adicionar informações complementares e atualizar automaticamente para todos que estão trabalhando naquele projeto.

O que facilita a compatibilização e a compreensão desse projeto como um todo.

No mercado existe uma variedade de opções de programas BIM.

E ainda nesse e-mail eu vou te mostrar uma descoberta e tanto que mudou e revolucionou meu modo de projetar.

Trabalhar com modelos BIM pode ser a solução para alavancar sua produção.

E sem precisar ser um especialista na área e dominar o programa x ou y.

 

Elemento #2: Ter em Mãos Um Processo Claro de Produção

Se projetar em BIM te ajuda a ser mais eficiente, aplicar processos é essencial para alcançar o sucesso na implementação do BIM.

Uma coisa é modelar o 3D “no braço” e torcer para que no final você tenha imagens e plantas técnicas e humanizadas lindas e maravilhosas.

Perfeitas.

Faltando ali 5 minutos para começar a reunião com o cliente.

Outra é você ter em mãos o passo a passo, o checklist perfeito e replicável.

A receita do bolo. O guia. O norte.

Para não ter que pensar do zero toda vez que for modelar.

E saber quais ações precisam ser feitas no 3D e resultar em desenhos prontos para impressão.

Imagina só você ter em mãos o guia para você extrair do seu 3D:

  • Plantas humanizadas e técnicas
  • Cortes e vistas humanizados e técnicos
  • Detalhes em 3D
  • Quantitativo de materiais
  • Área de cada material

 

Tudo em escala

E organizado em pranchas com carimbos inteligentes e simbologias.

E a mágica:

Tudo que você alterar no 3D já atualizar em todos os desenhos.

Automático.

Projetar assim te ajuda a focar seu tempo e esforço naquilo que realmente vai fazer seu negócio ou sua carreira crescer.

 

Elemento #3: Estratégia

Ser uma “máquina” de projetar requer estratégia.

Afinal, uma guerra sem estratégia é uma guerra perdida.

É na força, é no braço.

Pensar em qual a melhor opção de projetar certo espaço, diminui em até 7X o tempo para produzir.

São 5 minutos que você separa antes de partir para ação.

Nesses poucos minutos você define:

  • O que vai apresentar
  • Como vai apresentar
  • Quais desenhos precisa ter em mãos
  • Se vai concentrar tudo em um arquivo só ou se vai dividir em vários

Você adquire clareza dos próximos passos.

 

Elemento #4: Desenhos Mais Visuais e Menos Técnicos

Desenhos mais visuais são mais fáceis de entender.

Tanto para clientes, quanto para obras, parceiros e equipe.

Detalhes em 3D, plantas e cortes humanizados podem e devem ser mais explorados.

Agora… o trabalho mais cirúrgico que você pode fazer é colocar no 3D texturas e mobiliários escolhidos reais.

Dessa forma, o cliente terá clareza da sua proposta.

E vai se sentir mais seguro do que será executado.

Ao invés de ver blocos e hatches do autocad que não trazem a referência certa, ele verá desenhos humanizados com especificações corretas ilustradas.

E ainda, estará coerente com as imagens em 3D, já que você usou o modelo 3D para gerar as vistas, cortes e plantas.

Você terá unidade em seus desenhos.

Eles serão muito mais atrativos e convidativos.

Gostou desse artigo? Compartilhe com os seus amigos.

 

Continue lendo

Outros Artigos

Qual é a lição que podemos tirar do Fyre Festival

Uma das questões que mais negligenciamos no nosso dia a dia é o planejamento das nossas tarefas. 
É possível enxergar em diversos seguimentos como a falta de planejamento pode acabar facilmente com uma empresa ou o trabalho de uma pessoa. 
Um grande exemplo disso é o evento Fyre Festival. O caso ocorreu em 2017 e até hoje é lembrado pela velocidade em que chegou ao gosto do público, e principalmente na rapidez em que virou um verdadeiro fracasso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.