LEV DESIGN

MÍDIAS TRADICIONAIS X NOVAS MÍDIAS

compartilhe

Vamos discutir a ascensão e queda das mídias relacionadas ao mercado de arquitetura e interiores.

 

 

O Fato

No dia 6 de abril de 2018 a Editora Abril cancelou a continuação das revistas Casa Claudia, Arquitetura e Construção, Minha Casa, entre outras.

 

Essas três estão hiper-conectadas com o mercado de arquitetura e interiores. E o que isso quer dizer?

 

  • Será que isso é um sinal que o mercado está saturado?
  • Será que não tem mais demanda e interesse por esse tipo de produto ou serviço?
  • Será que não tem mais oportunidade pra mim?

 

E aqui vou ser bastante breve, a resposta é não pra todas essas perguntas.

 

 

O Reflexo

O que aconteceu foi um reflexo dos novos tempos, de novas economias, de novas formas de consumo.

 

A revista impressa é um artigo que despende um investimento alto para sua publicação. Para um trabalho de qualidade você tem que ter uma curadoria de projetos, um trend, profundidade na matéria, boas fotos etc.

 

O que aconteceu é que essa mídia foi atropelada pela forma que pesquisamos e consumimos informações e referências.

 

Vamos a uma reflexão:

Se uma revista impressa com edição mensal te mostra um conteúdo de 10 projetos por exemplo. Na internet, por dia, são milhões de uploads de imagens com referências similares de toda parte do mundo.

 

Não estamos julgando a qualidade desse conteúdo. Estamos aqui vendo uma perspectiva de mercado.

 

Existe sim uma demanda enorme por conteúdos relacionados a arquitetura e interiores, existe tanta demanda que essa procura migrou com o tempo da revista para as redes sociais.

 

Assim como já está acontecendo com diversos outros tipos serviços.

 

Hoje temos rotinas que envolvem o consumo dessas mídias de forma muito mais prática, atrelada às nossas redes sociais.

 

Por dia somos bombardeados com novas imagens, novas referências, projetos que ainda não estão executados, mas serão validados pelo mercado, como é o caso de imagens 3D.

 

Podemos tomar como exemplo você mesmo.

 

Quais suas principais fontes de pesquisa na elaboração de um projeto. Pinterest, Instagram, Archdaily?

 

Pensa na proporção da sua pesquisa, ela é feita mais nos sites e redes sociais e sites, ou através das revistas?

 

 

Nossa Perda

É muito triste ver a qualidade e o cuidado que essas revistas tinham ao produzir suas matérias, se perderem.

 

Nós como arquitetos, perdemos também fontes valiosas de referência de trabalho.

 

Fora que passa sempre pelo nosso sonho ser publicado e ter o trabalho reconhecido através dessas mídias e sim, principalmente a impressa, que tem um peso forte de investimento (da própria revista, que contrata o fotógrafo, aposta no trabalho do arquiteto afim de mostrar a sua obra para todo Brasil).

 

Nós tivemos a oportunidade de sair em uma publicação da Casa Claudia com o nosso projeto Estúdio do Escritor no CASACOR Rio.

E foi enriquecedor saber como é o processo, desde a pesquisa, a abordagem sobre a pauta e a visão da colunista.

 

 

Conclusão

O abandono dessa mídia, traz para nós uma nova responsabilidade, a de também cultivar um bom conteúdo.

 

Não só produzir boas obras, bons projetos, mas também de mostrar, documentar para repercutir esse trabalho em novas esferas.

 

Incluindo mais o cliente, ou quem tem empatia com o seu trabalho. Mostrar com qualidade as suas obras, seu processo criativo de forma criativa e envolvente.

 

Assim como na história, a queda abre espaço para novos surgimentos, novas ondas, novas fontes e novas economias.

 

Cabe a nós lamentar ou reinventar algo ainda melhor.

 

Continue lendo

Outros Artigos

Qual é a lição que podemos tirar do Fyre Festival

Uma das questões que mais negligenciamos no nosso dia a dia é o planejamento das nossas tarefas. 
É possível enxergar em diversos seguimentos como a falta de planejamento pode acabar facilmente com uma empresa ou o trabalho de uma pessoa. 
Um grande exemplo disso é o evento Fyre Festival. O caso ocorreu em 2017 e até hoje é lembrado pela velocidade em que chegou ao gosto do público, e principalmente na rapidez em que virou um verdadeiro fracasso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.