LEV DESIGN

DEPOIS DO ARCHATHON E O ESPAÇO NO CASA COR

compartilhe

Queremos compartilhar os desafios e aproximar você do processo que é produzir um espaço no Casa Cor.

Esse processo tem por si um aprendizado muito intenso pois se trata de um evento com data de inauguração. Então o tempo, gestão e execução, tem que ser muito bem monitorados para uma oportunidade como essa não se transformar em um pesadelo.

 

 

Contexto

Em 2017, nós da Lev Design junto com a arquiteta Barbara Schwartz participamos da maratona Archathon e conquistamos o primeiro lugar, se você quiser saber mais sobre o processo da maratona é só ver o nosso artigo: Como Ganhamos o Archathon. 

 

O prêmio era executar um espaço na mostra CASACOR Rio, muito conhecida no mercado de arquitetura e interiores por lançar tendências e gerar reflexões sobre o consumo e a ocupação dos espaços no nosso dia a dia.

 

Uma das grandes abordagens do evento, é realmente refletir o momento presente, dentro dos temas anuais trazidos por uma curadoria.

Em 2017, em reflexos da crise econômica, o tema foi “Foco no Essencial”.

 

O local da mostra foi no porto do Rio de Janeiro, um gancho para um polo de desenvolvimento comercial, num prédio projetado pelo escritório do arquiteto Norman Foster.

 

Dadas as devidas proporções, do contexto, do evento e do local, estávamos lá, nós 3 (Carol, Mari e Barbara) prontas para produzir em tempo recorde o melhor espaço do mundo.

 

E aqui faço uma lista dos principais desafios que encontramos:

  • Financeiro
  • Parcerias
  • Gestão
  • Qualidade

 

E aqui vamos falar um pouco mais sobre essas questões.

 

 

Financeiro

A parte financeira é a mais delicada. Desde o início, quando pensamos em participar do Archathon, conversamos entre nós sobre a possibilidade de ganhar, e esse é um discurso pouco conversado entre os participantes.

 

Algumas pessoas podem pensar em só participar do concurso sem pensar no prêmio. E isso é um erro sério.

 

E se você ganhar? Você tem ideia do que representa essa oportunidade?

 

Ao ganhar você tem duas escolhas: entende que vai ter custos e vai ter um tempo dedicado a esse projeto, encara isso como uma oportunidade e faz o seu melhor.

 

Ou se deixa abater pelo tempo e dificuldades no caminho.

 

Isso automaticamente reflete na qualidade do seu espaço.

 

Portanto é importante ter em mente que se você participar do Archathon, você pode sim ganhar a oportunidade de ter o seu espaço executado no Casa Cor. Se apropriar dessa ideia.

 

Entender que isso não é simplesmente um custo, e sim um investimento no seu negócio, na sua marca, que vai fazer parte da sua história como arquiteto ou designer, que pode te lançar para novos projeto e novas oportunidades.

 

 

Parceiros

O legal desse tipo de mostra, é que o público acaba conhecendo muitas novidades trazidas pelas marcas que querem fazer parte da mostra.

 

Existem patrocinadores como a Deca que fazem o suporte de todas as louças e metais e tem exclusividade dessa linha no evento.

 

Mas existem outros parceiros que veem o CASACOR como ponte para mostrar uma nova coleção ou mesmo usam a mostra para apresentar novos produtos. E até mesmo uma nova marca que entrou no mercado.

 

Parte do nosso trabalho dentro o processo foi formatar um apresentação voltada para os parceiros, e entender que tipo de produto era interessante deles mostrarem e o que mais se encaixava com o nosso projeto.

 

Lógico que tivemos muitas adaptações, seja dentro de medidas, acabamentos e até mesmo layout. Mas procuramos sempre um ponto intermediário entre o que é legal e diferente que podemos mostrar do parceiro e o que estava de acordo com o projeto.

 

O bacana do processo é também conhecer as marcas e as possibilidades. Nossas parceiras foram essenciais para o sucesso do projeto.

 

 

Gestão

Depois de alinhar as parcerias (tudo vai acontecendo no decorrer do processo, inclusive faz parte mudar no meio do caminho), é preciso gerenciar esse projeto como um processo único.

 

Se você alguma vez já executou alguma obra, sabe que o tempo de execução pode ser diferente a medida que a verba do cliente é liberada.

 

No caso de uma mostra, o prazo para as fotos que saem na mídias como a revista do Casa Cor, são o limite máximo para produção do espaço.

 

Esse é o objetivo, você mostrar seu trabalho através das mídias e do evento, portanto um cronograma de gestão da sua obra e espaços tem que começar pelo final, pela data da foto para a revista e não da abertura para o evento.

 

O ideal é traçar um tempo para a obra “suja”, pensando em todos os pormenores: automação, elétrica, ar condicionado, pontos de iluminação, água e esgoto (se o ambiente for utilizável) etc.

 

Enfim, todo processo da parte suja, e cuidar para que esse tempo não ultrapasse a entrega dos produtos dos parceiros.

 

Do contrário você pode ficar com tudo empacotado dentro do seu espaço tendo que esperar a limpeza, para só no último instante conseguir fazer a produção final e ajustes com objetos decorativos.

 

Para nós de forma geral funcionou assim:

Obra suja:

  • Gesso
  • Elétrica
  • Pintura
  • Piso Laminado
  • Mármore parede
  • Marcenaria
  • Cozinha
  • Mármore cozinha
  • Iluminação
  • Louças e Metais

 

Mobiliário (espaço limpo):

  • Cortinas
  • Tapetes
  • Sofá
  • Mesa, cadeiras e poltronas
  • Cama

 

Decor (sem nenhuma sujeirinha)

  • Objetos decorativos
  • Ajustes

 

Você pode considerar muitos erros e acertos. Nesse caminho.

 

Por exemplo, nós fizemos pelo menos 20 estudos para chegar no desenho do armário. Pelo fato dele ser um elemento arquitetônico de divisão do espaço, tinha uma representação muito forte.

 

E pra isso e várias outras funções usamos o 3D para simular e validar o pensamento.

 

A pintura da parede, que pensamos num degradê de cores, foi um desafio que fizemos e refizemos mais de uma vez.

 

Até mesmo a arrumação da cama sofreu uma revolução com o olhar no nosso mentor Ricardo Melo.

 

Esses ajustes fazem parte do processo. Se você não estiver aberto e entender que existe uma forma de adaptar e que inclusive o resultado dessa adaptação pode ser melhor que o previsto, você pode perder uma boa oportunidade.

 

A gestão parte de um bom planejamento, cronograma e cuidado. Mas não fique bitolado, muitas oportunidades aparecem no processo e é importante permitir uma adaptação.

 

 

Qualidade

A maior prova para nós, debutantes na mostra. Era que nosso espaço estivesse à altura de espaços assinados por grandes nomes do mercado.

 

Por isso, prezar pela qualidade, tanto da execução, acabamentos, quanto dos materiais, objetos e móveis era imprescindível.

 

Às vezes é aquele momento que você vira um chato.

 

Um chato por pedir um ajuste num prazo tão apertado, um chato por mudar um móvel que não ficou como imaginado… tudo isso.

 

O quanto mais chato (aqui leia-se criterioso) com o seu espaço, mais qualidade e definição vai conseguir agregar.

 

Nossa resposta final a essa questão veio numa grata surpresa no final do ano, quando vimos nosso espaço como um dos apenas 6 selecionados na edição do Rio de Janeiro, a integrar o anuário de ambientes de destaque do Casa Cor de todas as edições do Brasil e da América Latina.

 

Esse anuário é um compilado dos melhores espaços da mostra em todas as edições de todas as capitais do Brasil naquele ano. Foi muito gratificante ver a repercussão de um projeto que começou numa maratona.

 

Além das publicações como: revista Casa Claudia, Caderno Ela do jornal O Globo, no Jornal Estado de SP, talk para a CasaVogue e mídias digitais como Revista Giz entre outras.

 

O evento e esses destaques, também resultaram em convites para participar do programa É de Casa, da Rede Globo, com pautas de decoração de ambientes.

 

 

Conclusão

Nosso objetivo maior, era participar do evento, realizar um ótimo trabalho, fazer network e explorar as mídias trazidas pelo espaço.

 

Alcançamos esses resultados começando lá no início com a participação no Archathon, sem nenhum projeto executado, somente um portfólio em 3D dos nossos projetos virtuais, e muita vontade de fazer a diferença.

 

Cada uma contribuiu com a sua experiência e empenho. Mas o resultado do espaço e do trabalho, foi uma soma de esforço, cuidado e carinho. Por isso, certamente vai ficar pra sempre como uma experiência mais que importante na nossa trajetória como arquitetas.

Continue lendo

Outros Artigos

Qual é a lição que podemos tirar do Fyre Festival

Uma das questões que mais negligenciamos no nosso dia a dia é o planejamento das nossas tarefas. 
É possível enxergar em diversos seguimentos como a falta de planejamento pode acabar facilmente com uma empresa ou o trabalho de uma pessoa. 
Um grande exemplo disso é o evento Fyre Festival. O caso ocorreu em 2017 e até hoje é lembrado pela velocidade em que chegou ao gosto do público, e principalmente na rapidez em que virou um verdadeiro fracasso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.